Fotógrafa lança livro, Iguape.

02/08/2018
Fotógrafa lança livro, Iguape, em noite de autógrafos no Museu Histórico da cidade.
Livro , que contém imagens sobre a natureza, casarões antigos e a religiosidade da Festa de Agosto, está disponível gratuitamente até o dia 21 no Museu Histórico de Iguape
Iguape  – Mariana Carneiro passou as férias e fins de semana de sua infância brincando nas areias e ondas nas praias da Juréia. A magia dos casarões coloridos e a beleza das ruas estreitas com calçadas de paralelepípedos de Iguape nunca saíram de sua memória. O sítio da praia foi vendido e 30 anos se passaram. Mas as memórias permaneceram intactas e a levaram a voltar à cidade para lançar – em parceria com o pai, José Álvaro Carneiro- , o livro Iguape.
O lançamento aconteceu no sábado, 21, no Museu de História da cidade. Na concorrida  noite de autógrafos , pai e filha expressaram, em imagens e textos, toda beleza, encanto , história, natureza e religiosidade de Iguape. “Minha mãe faleceu e meu pai acabou vendendo o sítio e não voltamos mais. Anos depois, recordei de minha infância feliz e de Iguape e voltei a visitar a cidade . Em São Paulo, percebi que poucos conhecem Iguape. Isso me deu muita vontade de destacar a cidade. Tão bonita e cheia de belezas naturais, histórias e tão pouco conhecida. Isso foi um incentivo a pesquisar sobre a cidade e região”, contou a fotógrafa, que atualmente mora no interior do Paraná.
Para Álvaro Carneiro, na essência,  a cidade não mudou.” Isso é legal. Iguape continua bonita, a natureza preservada  A idéia do livro foi da Mariana e surgiu das vezes que ela veio visitar a cidade. Todas as vezes que vinha, ela passava em casa em Curitiba e me falava de Iguape e o que ia descobrindo. Foi muito gostoso e enriquecedor ver o livro tomando forma”, contou.
O livro “Iguape “ será distribuído gratuitamente  nas escolas e bibliotecas para levar  o conhecimento ao maior número possível de pessoas.  A exposição fotográfica permanecerá  no Museu Histórico de Iguape até 21 de agosto.    A noite de autógrafos contou com apoio do município de Iguape.  O Livro Iguape foi realizado através da Lei de Incentivo à  Cultura (Lei Rouanet).

Fonte: PMIC – Marcia Colla